O Rito de Seidhr

do Grupo Hrafnar

 

[Main Index] [About Jordsvin] [Asatru Information] [Young Heathens Page] [Fun Stuff] [Asatru Events] [Norse Links]

(traducao Lydia Mencinger)

 

O RITUAL : DISCUSSÃO E ANÁLISE

O Seidhr Oracular é atualmente praticado pelo círculo Hrafnar e é baseado numa combinação de referências da Antiga literatura Nórdica e em modelos identificados nas histórias das Jornadas para o Mundo Inferior, interpretadas à luz do método de viagem shamânica de Harner e nas técnicas de indução à visualização usadas na psicoterapia. Nesta seção exemplos dos rituais são citados com comentários. Perceba que na prática, somente as linhas em itálico são memorizadas, porque o/a vidente (termos mais gerais são usados para indicar aqueles que tomam a função de Spákona ou Spámadh) são treinados para respondê-los. O restante indica expressões aproximadas.

ESTABELECENDO UM LOCAL SAGRADO

Purificação

O Guardião reúne as pessoas quando elas entram ou dirigem-se ao redor do círculo com incensos acesos (ervas Européias encandescentes), e plumas ou abanos. Desenha as Runas Kaunaz e Elhaz em suas testas. Instrue-as para deixarem partir todo stress, para que estejam tranquilas. Diz um encantamento de purificação, como por exemplo:

Ervas santificadas afaste tudo que for ruim

Como o combustível para o fogo

Como a fumaça no vento

Limites

Guia ou Líder do Grupo : ( um enunciado formal, como este pode ser usados)

Sábio, Eu trilho o caminho do mistério

com o cajado sagrado os mundos atravesso,

Enquanto contorno o círculo

Pela sabedoria e determinação estará ligado

Ou vá diretamente a uma introdução como :

seres sagrados ouçam me todos

Ambos, crianças do alto e baixo Heimdallr

Irmãos, contemplem as fronteiras da existência

Irmãs eis aqui o centro sagrado.

Estamos em Midgard para trabalhar nossa magia

Encontramos o caminho do destino para vagar

Deste centro, percorremos o caminho entre mundos

Direções

AUSTRI & VESTRI, NORDRI & SUDRI

Duendes habitantes de todas as direções

Deste centro nos os chamamos.

Observadores do mundo, proteja-nos

Honra aos Espíritos da Terra

Agora aos Espíritos da Terra elevamos nosso louvor

E saudamos as forças que nos sustentam e nos protegem

pedimos sua benção para o nosso trabalho

sob sua proteção realizamos nossa magia

Se o grupo possuir identificação com algum Espírito local, invoque-o, caso contrário, chame-o de elemento... ou nesta hora o grupo pode cantar uma canção de evocação

Honra a Freyja

(Peça a Freyja, Senhora da Magia, que ensinou o Seidhr a Odin, que abençoe os trabalhos com estas palavras ou com suas próprias palavras)

Freyja, Freyja, Justa, ouça-nos,

Gydja, guie nos bem neste dia

Vanadis, revele a visão

Assim como para Odin foi aberto o caminho.

Freyja, Freyja, Justa, acompanhe nos

Em sua forma de falcão voe livre!

Cavaleira de Ottar, mostre-nos a estrada do destino

Através das visões do Seidhr nos precisamos agora ver

VELSIGNING Freyja

Todos :Versingning Freyja

Honra da Odin

(Chame por Odin, o deus do êxtase e buscador da sabedoria com estas palavras ou com suas próprias)

Odin Santo, salve, ó Grande!

Viandante, desejamos conquistar o caminho que nos leve através dos mundos

Cavaleiro de Yggdrasil, liberte o espírito

Para que possamos por ele passar com segurança

Hróptatyr, revelador do oculto, Buscador da Verdade, livre-nos agora dos medos

Gagnrad, conceda-nos bom conselho

Para todos os que aqui anseiam por sabedoria.

Versingning Odin.

Todos : Versingning Odin.

A primeira parte da cerimônia não é estritamente necessária para a prática do Seidhr. Entretanto relatos de condenações cristãs sobre prática de profecias pagãs indicam que os Deuses eram evocados antes da realização das divinações. O mais importante é a função psicológica desta fase. Tomar algum tempo para estabelecer o local sagrado dá um período de transição no qual os participantes podem se libertar das preocupações do dia e de suas identidades no mundo moderno fazendo com que entrem no mundo da Mitologia Nórdica. É também importante definir a área do ritual especialmente quando a cerimônia se realizar dentro da casa de alguém.

Usar roupas apropriadas ajuda todos os participantes a realizarem esta transição psicológica, assim como usar um gorro ou capa com peles ou figuras do animal de poder da pessoa e outros símbolos ajudam o shaman na sua atividade. Isto poderia ser classificado como uma teatralização, mas toda analise da literatura shamânica tornará completamente evidente a dramatização nas práticas tradicionais .

O primeiro passo é a purificação com fumaça de ervas sagradas. Hoje a defumação é uma tradição dos povos Nativos Americanos, mas a prática de defumação usando ervas (incensos) também é encontrada nas tradições Anglo Saxônicas e algumas partes do folclore Europeu. O objetivo desta prática é ajudar as pessoas a se libertarem de tensões e preocupações que não permitiriam que elas se concentrassem no trabalho que estão fazendo. O líder ou o anfitrião então define o espaço que será usado para a cerimônia. Um ou mais dos participantes poderá orientar e harmonizar o grupo prestando honra às Direções e aos Espíritos da Natureza locais. Finalmente, os deuses em geral e aquelas entidades particularmente associadas ao Seidhr são invocadas. A cada etapa, o grupo entra mais profundamente no mundo da mitologia Nórdica. Enquanto a jornada se inicia, todos devem ser envolvidos pelo clima da cerimônia.

**JOURNEY SONG**

JOURNEY SONG  (Canto de Viagem)

Faça suave o caminho que estamos

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

Os deuses se contentam ao longe

E o mistério surge no prado

Os deuses mostram-se contentes por nos lá do alto

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

O fluxo e refluxo das marés

E o mistério surge no prado

As ondas quebrando na praia

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

Nove donzelas gigantes o espírito parem

E o mistério surge no prado

Nove donzelas gigantes o espírito trazem

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

O povo de Hulk dança ao redor círculo de rochas

E o mistério surge no prado

O povo de Huld dança ao som do violino

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

Formas disformes diante da Lua

E o mistério surge no prado

Nas noites de Lua cheia nos unimos a sua melodia

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

Vamos espalhar ao longe os encantamentos

E o mistério surge no prado

Nós gritamos e dançamos sobre os telhados

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

Enquanto a batida dos tambores soa como batida de cascos

E o mistério surge no prado

Ouvimos os cães e o cavalo de oito patas

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

O coração bate rápido enquanto Ygg se aproxima

E o mistério surge no prado

Um velho pendurado no freixo que balança ao vento

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

Os olhos negros a luz reflete

E o mistério surge no prado

Da virgem de Vanir velhas magias para serem conhecidas

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

Do fogueira da meia noite seus aventais brilham

E o mistério surge no prado

Com asas através dos mundos ela voa

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

Pela força e pelo desejo o caminho ela trilha

E o mistério surge no prado

Uma pequena jóia brilhante em seu peito

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

Os altares com sangue consagrado aos disir

E o mistério surge no prado

Aos dis e alf oferendas colocadas

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

Um murmúrio abre as negras portas da colina

E o mistério surge no prado

As gélidas cavernas ancestrais dos Moemirs

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

Contando contos dos tempos dos antigos

E o mistério surge no prado

O poço negro das fontes onde jaz o destino

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

De gelo e fogo os mundos são feitos

E o mistério surge no prado

Faça suave o caminho para onde iremos

A trombeta chama claramente por sobre a montanha

Os deuses se alegram de onde estão

E o mistério surge no prado

VISÃO

" É tempo de cantar no trono de Thul

no poço de Urth, para saudar a sabedoria.

Invocamos agora as Nornes, a necessidade está em nós

O que foi, o que é, e o que virá.

Sejam verdadeiros em nossa visão, verdade em nossas palavras,

Compreensivas aos ouvidos que ouvem!

Doadores de bênçãos, gerem bom destino por nossas palavras

Aumento da energia

Batendo o tambor e dançando

O/a vidente entoa canções

(após o conjunto de cantos, encaminha o 1º vidente ao Trono)

O jornada seidhr é alimentada pela energia vinda da dança e do toque do tambor, cânticos e melodias. Assim como nas sociedades tradicionais, existe uma troca de energia entre o shaman e as pessoas onde a energia dos participantes propicia ao shaman uma viagem mais longa e mais rápida para trazer o conhecimento que se quer. A maneira como isto ocorre pode variar. Algumas cerimônias de Hrafnar incluem violinistas que executam melodias do folclore sueco para que as pessoas entrem no clima do ritual. Mais comumente usamos os tambores. As batidas do tambor devem começar com batidas bem fortes e os participantes devem acompanhar o ritmo destas batidas com o balançar o corpo, com palmas, etc. e for em uma sala fechada, dançar em fila ou sentido espiralado, que acabará se tornando um círculo de novo, ou então, somente os videntes podem dançar. Isto deve ser acompanhado pelas canções de poder dos videntes.

Viagem ao mundo inferior

O guia ou o tocador do tambor começa com uma batida lenta e o guia (se também na função de 1º vidente) inicia a cerimônia da cadeira diante do palco, ou do Trono, ou o vidente pode narrar a jornada. Esta começa com instruções de relaxamento dos membros do corpo, para aprofundar e regularizar a respiração. Então as pessoas são direcionadas a visualizar lugares familiares externos cujo caminho os levam ao interior de uma floresta. As copas das árvores formam um túnel, através do qual a pessoa passará para o Bosque Sagrado. Esta é a barreira entre o mundo real e Midgard, que é o mundo do meio, a versão não ordinária de nosso plano de existência normal. No centro da floresta sagrada, eleva-se a Yggdrasil, a árvore do mundo. Deste ponto, a jornada segue o modelo descrito no item Mundo Inferior, dado acima, terminando antes do portal, onde todos, com exceção dos videntes permanecem durante o questionamento.

Esta jornada é narrada pelo guia ou pelo vidente, que também pode tocar o tambor se quiser. Essa narrativa segue sempre o mesmo esquema , embora cada narrador pode fazê-lo de forma diferenciada. Uma vez que isto é feito em voz alta, o restante do grupo ouve e é levado através da jornada. Na prática, cada participante interpreta a narrativa de maneira pessoal, em sua própria simbologia, assim, as jornadas são diferentes para cada um dos participantes, embora todos cheguem ao mesmo intento. Esta viagem compartilhada recria o contexto cultural comunitário da sociedade tradicional. Também coloca todo o grupo em sintonia, o que facilita a divinação.

Entrada no reino de Hella (o vidente entra no segundo estágio do transe)

Guia :

O rio já passou, o povo está a espera

O portal para o conhecimento se abre diante de nós

Quem desafiará a esperada escuridão?

Quem procurará o caminho da sabedoria?

O primeiro vidente responde :

"Eu vou".

Guia:

"Todos louvam a sua ida! Todos louvam sua volta! Todos louvam a ti de agora em diante!".

(Vafthruthnic 4)

O Guia instrui o vidente a ir através do portal.

Todos:

Vidente

"Seu caminho através dos mundos precisas vencer

O mais distante, mais rápido e mais profundo que se possa penetrar

Siga adiante, sempre adiante, sempre ..."

Se o primeiro vidente guiou a jornada, neste momento uma Segunda pessoa o substitui no comando. As palavras sublinhadas precisam ser memorizadas, outras explicações são instruções generalizadas. O canto é entoado por todos, numa melodia medieval norueguesa. A melodia e o bater dos tambor levam o vidente a se ver adentrando o portal em direção ao mundo inferior. Experiências individuais deste segundo estágio de transe varia, entretanto todos concordam que uma nítida mudança de consciência ocorre. A experiência geralmente é prazerosa. Para alguns, existe a necessidade de estímulos para formar imagens, outros começam a ver espíritos, etc. assim que conseguem entrar.

Spá

O guia continua conduzindo o canto e batendo o tambor enquanto observa o vidente. Quando este percebe que o vidente está em transe profundo, pára.

Guia:

(o próprio nome), eu assim me chamo através dos mundos que eu vaguei,

procurando videntes os quais agora incorporo

pelo sangue e ossos, pela madeira e rocha,

pelo tempo e marés, pela imensidão dos mares

pela respiração e pela brisa, pelo fogo que liberta

atenda ao meu convite.

(nome) sábio, testemunha,

da profundezas da escuridão onde vives

me ouves? (aguardar a resposta)

diga-nos o que vês?

(dê um tempo para que o vidente descreva a cena, o que ajuda a completar a transição

o encantamento é dito, o vidente aguarda.

Guide:

Há alguém aqui que queira fazer alguma pergunta?

O primeiro consulente faz uma pergunta.

(dependendo do tamanho do grupo, ele/ela precisa ficar em pé ou chegar mais a frente)

Guia:

Não pare vidente, até dizer-te que devas parar.

Responda ao consulente, até que ele saiba tudo que deseja.

O vidente toma o tempo necessário para visualizar, descrever o que vê e quando termina, ele diz:

Vocês sabem algo mais? Ou

Isto vós podeis saber. Gostarieis de saber mais?

(Voluspá 27, etc.)

Se mais informações são pedidas, o Guia diz:

Não pare, vidente, ainda quero vos perguntar,

(Baldrsdraumr 8, etc)

preciso ver mais adiante, "até que eu saiba tudo".

(quando a resposta for completa e aceita, o Guia diz:)

Perguntastes bem e bem foi te respondido.

Há outro que queira fazer alguma pergunta agora?

(o próximo consulente fala e o procedimento se repete.

Após o primeiro vidente Ter respondido a questão, o Guia diz:)

Guia:

A visão desaparece, a voz torna-se silenciosa,

Retorne agora, sábio, de onde o aguardamos para saudar-te.

Levar o vidente de volta ao portal da maneira necessária e manter o tambor batendo enquanto os assistentes o auxiliam a descer do trono.alguém deve cuidar dele enquando ele retorna do transe. (deve haver na hora uma simples música de harpas tocando).

A função do Guia neste momento é de intermediário entre o grupo de maneira geral e o vidente, ainda no primeiro estágio. Durante a orientação, as pessoas devem Ter o cuidado de elaborar suas questões da maneira o mais simples e específicas possível. O Guia sinaliza ao consulente a iniciar e sinaliza quando terminar a sequencia. Ele/ela também mantém a compreenção necessária com o vidente, para dizer-lhe quando este está fatigado e termina a seção. Se houver mais questões então o primeiro vidente pode passá-las ao segundo, e se necessário um terceiro orador é colocado no trono e a sequencia das melodias se repete, como acima.

Alguns consulentes podem Ter perguntas envolvendo morte, ou pode ocorrer que o vidente perceba espíritos que estão ávidos em se comunicar. Supondo que estamos invadindo o reino dos espíritos neste trabalho, parece justo que de tempos em tempos a eles seja permitido Ter a palavra. O vidente pode ouvir e transmitir a mensagem, ou em alguns casos, permitir que o espírito fale através dele/dela. Este tipo de cominicação, entretanto, deve ser tratada cuidadosamente, e uma atenção especial deve ser tomada ao trazer o vidente de volta ao seu estado normal de consciencia.

Volta a Midgard

Quando todas as questões já tiverem sido respondidas, o Guia traz o último vidente de volta pelo portal, mas ele/ela deve continuar no Trono durante a volta. Ao bater do tambor, o Guia narra na ordem inversa ao da entrada no portal. Ao término da narrativa, o Guia ou o cantador pode cantar uma outra canção para auxiliar as pessoar a fazerem o retorno a realidade normal.

Guia ou cantador (melodia : Norueguesa Medieval)

Agora a visão desapareceu.

As vozes dos espíritos ainda estão aqui.

Os laços do seu corpo chamam-te de volta

Com sabedoria governada pela determinação

Todos: DA MANEIRA PELA QUAL VOCÊ APRENDEU

NOS O CHAMAMOS PARA RETORNAR...

Odin expressa agora a palavra

Que protejerá seu caminho

Sleipnir rapidamente o leva para casa,

Da escuridão para o dia.

Coro

Freyja travestida de falcão o proverá de

Asas se você precisar

Com voo rápido e seguro

E venha até nós com rapidez.

Coro

Corvo segue na direção do seu caminho

Irá rapidamente em asas negras brilhantes

Ouça lhe dizer como ir

Tão logo nos ouça cantar.

Coro

Contemplem seus corpos que aguardam calmamente

Para saudar a volta de suas almas

Desça e entre com segurança

Para que agora voce se faça completo.

O guardião se move ao redor do círculo, desenha a Runa Bercano na testa de cada pessoa e dá-lhes uma pedra de sal. Se necessário, dá-se um tempo para a volta.

Nerthus, Nerthus, santa Mãe,

Proteja-o de todo inimigo.

Retorno ao Mundo.

Agradecimento a Odin e Freyja

A resposta para cada um deles é :

Fridyr ok farsaell (Hail and Farewell)

Agradecimentos aos Espíritos da Terra

Deixe-nos saber que as Forças que nos protejeram (diga algo como:)

Landvaettir, Jordtomtar, dokkalfar, habitantes da terra

Ymir, cujo corpo nos sustentou,

Nackar, Forskarla, ser da água,

Aegir, abridor do Oceano,

Surts-aett, Liósálfar, seres resplandescentes,

Loge Senhor da luz ardente

Huldrene, vind-álfar, morada dos antepassados (???????)

Kári, que carrega o sopro da sabedoria;

Fridyr ok farsaell!!!

Todos: FRIDR OK FARSAELL!!!

Agradecimento aos duendes

NORDRI and SUDRI, AUSTRI and VESTRI,

A toda família de duendes oferecemos bons encantamentos e agradecemos por sua amabilidade.

Fridr ok farsaell!!!

Todos : FRIDR OK FARSAELL!!!

Abertura do Círculo

Com o cajado sagrado ao redor do círculo

Com estas palavras a proteção está desfeita

Este lugar retorna ao seu uso normal

Deixe-nos com a sabedoria que aprendemos.

Ou

Agora libero o caminho do destino

Espiralando de dentro para fora do centro

Fazemos nosso caminho de volta para o mundo

Este local agora volta ao seu bom uso

Que nos lembremos do que foi aprendido.

O ritual de fechamento repete as ações da abertura, em ordem inversa, ajudando todos os participantes a fazerem a devida transição de volta a realidade normal. A pedra de sal é útil para o retorno, e a distribuição dá ao Guardião a oportunidade de Ter certeza de que todos os participantes realmente voltaram aos seu estado normal de consciência. Sempre procuramos Ter alimentos e bebidas disponíveis para após a cerimônia para continuar o processo e recompor as energias gastas. A atmosféria social de compartilhar o alimento também dá oportunidade para as pessoas poderem comentar e discutir a interpretação de suas questões.

Created by Chandonn and Jordsvin

all works used by permission of the authors

last modified 05/28/2004